Clubes pretendem alterar nome do Brasileirão com criação de liga
Siga nas redes sociais

Futebol

Clubes pretendem alterar nome do Brasileirão com criação de liga

Publicado

em

Taca do Brasileirao

O encontro entre dirigentes dos clubes brasileiros a representantes da CBF terminou com otimismo para a criação imediata de uma liga para organizar o Campeonato Brasileiro a partir de 2022.

Os membros das equipes presentes no encontro apresentaram o documento com a assinatura de 19 dos 20 clubes da Série A para tomar as rédeas do torneio.

Como o produto hoje pertence à CBF, foi debatido inclusive a possibilidade de trocar o nome da competição, cujos direitos estão ligados à entidade máxima do futebol brasileiro.

A criação da liga é um movimento que amadureceu nas últimas semanas, e englobaria não apenas os 20 clubes da Série A, mas também os 20 da Série B, que foram convidados.

O modelo seria semelhante ao que é feito na Espanha, com as duas principais divisões organizads pela “La Liga” e as demais pela federação nacional.

A CBF vai emitir nota oficial depois de ser representada no encontro pelo presidente interino Coronel Nunes e pelo secreetário-geral, Walter Feldman.

Segundo os dirigentes que participaram do encontro, o documento foi entregue sem qualquer ruptura ou questionamento, até porque não há hoje essa possibilidade.

“Eles estão tontos”, disse um dirigente.

Os clubes entendem que a realização da liga depende apenas deles. Cria-se e começa-se a jogar. A CBF não teria qualquer ingerência para negociar comercialmente o produto.

Na reunião, os clubes também pleitearam maior participação nas tomadas de decisão da CBF. E querem participação igualitária em relação às federações nas eleições da entidade.

O movimento tomou corpo em meio ao processo de afastamento do presidente da entidade, Rogério Caboclo, acusado de assédio sexual por uma funcionária. Mas o amadurecimento da ideia já vinha acontecendo em debates nos bastidores. A principal motivação são as dificuldades financeiras oriundas da pandemia, que prejudicou as receitas de todos.

Entre os dirigentes presentes na CBF estava o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, acompanhado do vice-geral e jurídico Rodrigo Dunshee. O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, também acompanhou a comitiva, assim como Maurício Galiotte, do Palmeiras, e Guilherme Bellintani, do Bahia.

Documento assinado pelos clubes Foto: Reprodução / Reprodução

Documento assinado pelos clubes Foto: Reprodução / Reprodução

Pela manhã, o presidente do São Paulo, Júlio Casares, publicou um vídeo no Instagram em que defende a união dos clubes por “interesses comuns”.

“Estamos reunidos nesta manhã com os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro para discutir o futuro do futebol brasileiro e a crise da CBF. Mas principalmente estamos discutindo o início de uma organização importante para o futebol brasileiro. Precisamos repensar o futebol, mas com muita união, pensando no produto do futebol, pensando no crescimento do produto e de todos os clubes. Temos de discutir princípios mercadológicos, princípios éticos e de governança”, afirmou.

“Há muito o que fazer, e isso começa já. Por novo calendário, mais planejamento, investimentos e receitas. Por democracia, com equilíbrio, união e trabalho. Sem conflitos, sem ressentimentos. Nós, clubes de futebol, queremos chegar mais próximo do que cada brasileiro espera de nós”, disse Guilherme Bellintani, do Bahia.

O dirigente também falou após o encontro na CBF.

– Viabilizar a partir de já. Entendo que o 15 de junho de 2021 é o ponto de partida de uma nova partida no futebol brasileiro. As premissas estão estabelecidas. União dos clubes, entendimento comum do que é preciso fazer. Os clubes mostraram a maturidade que têm. O debate varou a noite de ontem, continuou hoje de manhã. Foi um primeiro passo importante. Não temos nenhum interesse em entrar em conflito com a CBF. Vamos continuar discutindo, queremos ter mais participação na política da CBF, como a igualdade no peso dos votos e o fim do filtro político para candidaturas – disse Bellintani ao Ge.

Na saída da reunião, o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, afirmou que não é desejo dos clubes entrar em atrito com a CBF.

– Não é um movimento de ruptura, mas é o momento de organizar. Os clubes têm condições para isso. A CBF nos ouviu. Nós queremos organizar o Campeonato Brasileiro ‘ afirmou.

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, comemorou a iniciativa e destacou exemplos que existem de outros países:

– Os clubes entenderam que precisavam assumir cada vez mais o protagonismo no futebol brasileiro, participando mais ativamente do processo de escolha do presidente e do vice da CBF, com votos igualitários entre federações e times da Série A e Série B. Além disso, a criação de uma liga tem o objetivo de maximizar receitas, ofertar um produto de maior qualidade e maiores vantagens comerciais. Se os alemães, espanhóis e italianos fazem isso, nós brasileiros também podemos fazer. Essa mudança também é positiva para a CBF, que terá um processo eleitoral mais democrático e participativo, com melhorias na Série A.

Também presente no encontro, Walter Dal Zotto, presidente do Juventude, comemorou:

– A formação da Liga é um momento histórico para o futebol brasileiro. Pela primeira vez vemos essa grande evolução, com os presidentes de todos os clubes demonstrando unidade em prol da criação de novo calendário, investimentos e receitas.

O Sport foi o único clube da Série A que não assinou o manifesto porque está sem presidente. Milton Bivar pediu renúncia e novas eleições serão convocadas no clube pernambucano.

Documento assinado pelos clubes Foto: ReproduçãoDocumento entregue à CBF Foto: Reprodução

Fonte: O Globo

Gostou da notícia?

Então, nos siga em todas nossas redes sociais como o Twitter, o Instagram e o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Mengão!

Futebol

Renato Gaúcho se irrita com questionamento: “Isso tudo por causa de uma derrota?”

Publicado

em

51494274741 8c4f052c7f k

Após a derrota para o Grêmio neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico do Flamengo, Renato Gaúcho, se sentiu incomodado por uma pergunta sobre a postura do time na defesa.

Questionado a respeito da marcação baixa do Rubro-Negro no Maracanã, o treinador reclamou: “Nossa Senhora! Isso tudo por causa de uma derrota? A gente vai perder mais jogos”.

“A cada três dias a gente tem uma decisão. Então, quando a gente ganha está tudo bem, e quando a gente perde uma partida está tudo errado? Não está tudo errado não”.

Renato Gaúcho se disse satisfeito com o comportamento do Flamengo sem a posse de bola e elogiou o Grêmio.

“Nossa marcação continua alta. Agora, tem horas que o adversário consegue fugir. Todo mundo estuda a equipe do Flamengo. Tem horas que eles vão escapar. A gente treina marcação alta, mas o adversário tem qualidade. Nós não vamos pressionar o tempo todo e ganhar todas as bolas do adversário”.

“Tem horas que o adversário vai escapar e, quando escapar, é óbvio que tem que baixar as linhas. Todo mundo tem que voltar para marcar, se não ficam cinco defendendo e cinco atacando. É difícil explicar tudo centímetro por centímetro, metro por metro, para todo mundo. Mas pode ter certeza: a gente treina e eu estou muito satisfeito quanto a isso”, finalizou.

O Flamengo volta a campo nesta quarta-feira (22), quando recebe o Barcelona de Guayaquil pelas semifinais da Conmebol Libertadores com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+. A volta será uma semana depois, no dia 29, no Equador.

Fonte: Espn

Gostou da notícia?

Então, nos siga em todas nossas redes sociais como o Twitter, o Instagram e o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Mengão!

Continue lendo

Futebol

Renato minimiza derrota para o Grêmio, vê méritos do rival e explica saída de Everton Ribeiro

Publicado

em

51495435725 463d71ac8e k

Neste domingo, no Maracanã, o Flamengo não repetiu o bom desempenho que vinha tendo sob o comando de Renato Gaúcho e foi derrotado pelo Grêmio por 1 a 0, na 21ª rodada do Brasileirão. Após o jogo – que deixou o time mais longe de Atlético-MG e Palmeiras na tabela -, o treinador buscou dar as explicações.

– Nem sempre vamos desempenhar o futebol que sabemos. No outro jogo, estivemos da mesma forma e vencemos. Digo isso desde o primeiro dia. Todos jogam uma Copa do Mundo contra o Flamengo. Todos querem tirar pontos de nós. É o segundo jogo sob meu comando que não fazemos gol. É uma decisão a cada jogo, não faltou luta. Todos se entregaram, mas sabíamos que seria difícil. O Grêmio se doou, correu e foi mais feliz fazendo o gol nos acréscimos do primeiro tempo – afirmou o técnico do Flamengo, ainda no Maracanã.

Agora, o Flamengo volta as suas atenções para a disputa da semifinal da Copa Libertadores. Na quarta-feira, no Maracanã, recebe o Barcelona de Guayaquil  (EQU) no jogo de ida. A volta será em 29 de setembro, no Estádio Monumental.

De acordo com o treinador, algumas opções feitas neste domingo já foram pensando na partida de quarta, como a substituição de Everton Ribeiro e a entrada de Bruno Henrique, que voltou a atuar pelo time após três semanas.

– O treinador sempre procura o melhor para a equipe. Estávamos perdendo o jogo, coloquei o Bruno já como um teste para quarta. Deixamos Pedro e Gabi para empurrar a zaga. Eu não gosto de tirar o Everton, mas as pessoas não entendem e não têm acesso. O Everton não era nem para ter jogado. Está com um problema na perna. Disse que poderia jogar 45, mais, no máximo, mais alguns minutos. Colocamos porque é sempre uma decisão. E é por isso que saiu. Tem um jogo decisivo na quarta-feira. Temos problemas com Arrascaeta, com o Filipe. Por isso foi substituído naquele momento. Já estava combinado.

Fonte: Lancenet

Gostou da notícia?

Então, nos siga em todas nossas redes sociais como o Twitter, o Instagram e o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Mengão!

Continue lendo

Futebol

De forma apática, Flamengo perde para o Grêmio no Maracanã e dá adeus a boa sequência

Publicado

em

51494882909 a2ea425787 k

Flamengo levou a pior no reencontro com o Grêmio , após eliminar o rival na Copa do Brasil. Neste domingo, o clube gaúcho encaixou a armadilha e venceu por 1 a 0, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Grêmio negou os espaços ao Flamengo e se fechou bem. Sem inspiração, o clube carioca não se criou e viu a invencibilidade cair. Eram oito jogos invictos – sete vitórias e um empate. Esta foi a segunda derrota de Renato Gaúcho à frente do Fla. Curiosamente, a segunda no Maraca para um clube gaúcho no Brasileiro – havia perdido para o Internacional.

Com a derrota, o Flamengo vê a vantagem para o líder Atlético-MG aumentar para 11 pontos (o clube carioca tem dois jogos a menos em relação ao rival mineiro). O Rubro-Negro está na terceira colocação, com 34 pontos em 18 partidas. Já o Grêmio consegue uma vitória importante na luta para fugir do Z-4. O Tricolor Gaúcho tem 22 pontos em 19 jogos e está no 17º lugar.

Na próxima rodada do Brasileiro, o Flamengo enfrenta o América-MG, no domingo, às 11h (de Brasília), no Independência. Antes, porém, o clube carioca começa a decidir uma vaga para a final da Libertadores. Nesta quarta-feira, o Flamengo recebe o Barcelona de Guayaquil, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, pelo jogo de ida da semifinal. Já o Grêmio volta a campo, pelo Brasileiro, no domingo e visita o Athletico-PR, na Arena da Baixada, às 18h15 (de Brasília).

O técnico Renato Gaúcho não pôde contar com Filipe Luís, Diego e Arrascaeta. David Luiz ainda não foi relacionado, enquanto Kenedy ficou como opção pela primeira vez e fez a estreia na etapa final. Bruno Henrique, recuperado de lesão, voltou a ficar à disposição e entrou no segundo tempo.

O clima ficou tenso. Borja, que provocou após o gol, e Gabigol se estranharam na saída para o intervalo. No túnel que leva aos vestiários, mais conversa entre os jogadores dos dois times.

O Grêmio precisou mudar logo no começo do segundo tempo. Gabriel Chapecó se chocou com Ruan e deu lugar a Brenno. O Flamengo não conseguia acelerar o jogo e superar a marcação rival. Renato Gaúcho, então, fez alterações. Ele colocou Bruno Henrique e Pedro. Saíram Everton Ribeiro e Vitinho.

O panorama não mudou. Renato promoveu a estreia de Kenedy e também colocou Matheuzinho. Saíram Michael e Isla. De nada adiantou. O Flamengo não conseguiu criar nada na etapa final.

Nos acréscimos, o VAR recomendou revisão em lance de mão de Léo Pereira na área. Pênalti. Borja bateu, aos 52, mas Diego Alves pegou. Entretanto, o clube gaúcho ficou com a vitória.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 0X1 GRÊMIO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 19/09/2021, domingo

Horário: 20h30 (de Brasília)

Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)

Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)

VAR: Braulio da Silva Machado (SC)

Cartão amarelo: Borja, Thiago Santos, Vanderson e Mateus Sarará (Grêmio) e Isla, Bruno Henrique e Rodrigo Caio (Flamengo)

Gol:

Flamengo: 

Grêmio: Borja, aos 47′ do 1ºT

FLAMENGO: Diego Alves; Isla (Matheuzinho), Rodrigo Caio, Léo Pereira e Renê; Willian Arão, Andreas Pereira (Thiago Maia), Everton Ribeiro (Bruno Henrique) e Vitinho (Pedro); Michael (Kenedy) e Gabigol

Técnico: Renato Gaúcho

GRÊMIO: Gabriel Chapecó (Brenno); Vanderson, Ruan, Rodrigues e Rafinha (Cortez); Thiago Santos, Villasanti e Lucas Silva (Mateus Sarará); Alisson (Diogo Barbosa), Ferreira (Léo Pereira) e Borja

Técnico: Felipão

Fonte: Espn

Gostou da notícia?

Então, nos siga em todas nossas redes sociais como o Twitter, o Instagram e o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Mengão!

Continue lendo




WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com