Neste domingo (21) o Flamengo tem decisão contra o Internacional no Maracanã, na briga pelo título do Campeonato Brasileiro . Se vencer o duelo, válido pela penúltima rodada, além de assumir a liderança da competição, o Rubro-Negro passará a depender só de si mesmo para conquistar o bicampeonato.

E no clube carioca, um fato em especial chama atenção: desde junho de 2018, quando Mauricio Barbieri, hoje no Red Bull Bragantino , ainda era técnico da equipe que o Flamengo não marca um gol de falta sequer.

Na ocasião, no dia 10 de junho daquele mês, Diego Ribas marcou o gol, na vitória por 2 a 0 sobre o Paraná , em duelo válido pela rodada 11 do Campeonato Brasileiro de 2018, no Maracanã. A partida também marcou a despedida de Vinicius Jr. do Rubro-Negro, uma vez que já havia sido negociado com o Real Madrid .

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br , o ex-meia do Flamengo Andrezinho, que durante a carreira sempre teve bom aproveitamento em cobranças de falta, atentou para o fato e deixou claro: se estivesse no atual elenco rubro-negro, pelo menos um gol do fundamento já teria saído.

Segundo o jogador, na sua época era comum que gols de falta saíssem, uma vez que a dedicação dos jogadores especialistas no quesito durante os treinamentos era grande.

“É complicado. Hoje no futebol brasileiro, um das coisas que eu vejo, pode ser por vários aspectos, você tem um índice de gols de faltas muito baixo. A gente tinha um número maior na época que eu jogava. Não sei se por treino, por precisão, porque a falta é um dom, mas qualquer dom que você tem e não exercita, realmente esse dom não vai sobressair”, começou por dizer.

“Não sei se hoje os batedores treinam como antigamente, na época a gente batia 20, 30 faltas por dia para calibrar o pé, e os gols saíam na hora dos jogos naturalmente. Nesse Brasileiro, modéstia a parte, se eu estivesse, um golzinho teria saído porque o Flamengo não faz desde junho. Não sair um golzinho é complicado”, finalizou.

Revelado nas categorias de base do Flamengo, Andrezinho passou pela Gávea entre 2001 e 2004. Ainda teve passagem por outros clubes de expressão no país como Internacional, Botafogo Vasco .

Aposentado dos gramados desde 2019, o ex-meia hoje atua como coordenador do Nova Iguaçu, do Rio de Janeiro, que disputa o Campeonato Carioca .