Neste domingo, o Flamengo terá um desfalque de peso para o duelo decisivo contra o Internacional , pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro .

Por ter fraturado um dedo do pé em acidente doméstico, o volante William Arão está fora da partida e não será relacionado pelo técnico Rogério Ceni.

A ausência deve ser bastante sentida, já que, desde que foi deslocado do meio-campo para a zaga, Arão fez os números rubro-negros melhorarem muito.

Desde a primeira vez que foi colocado na defesa central (vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras , em 21 de janeiro), o agora ex-volante foi responsável por notável evolução no time.

Antes de ter Arão na zaga, o Flamengo disputou 29 partidas no Brasileiro, com 15 vitórias, empates e derrotas, um aproveitamento de 60% .

Já depois da estratégia de Ceni ser efetivada, foram duelos, com vitórias, empate e derrota, o que significa aproveitamento de 72% .

Com Willian no meio-campo, o Rubro-Negro sofria 1,35 gol/jogo na Série A.

Após a ida para a defesa central, esse número caiu para apenas 0,86 gol/jogo .

Outro dado notável: com Arão de volante, o Fla passou apenas 21% de seus jogos sem ser vazado.

Já depois que o atleta foi escalado de zagueiro, em 43% das partidas não houve bola na rede flamenguista.

Sem Willian Arão, Ceni deve optar pela seguinte escalação contra o Inter: Hugo Souza; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís; Diego, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.

A “final” entre gaúchos e cariocas acontece neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.

O Colorado lidera o Brasileiro, com 69 pontos, enquanto o Rubro-Negro vem logo atrás, com 68.

Se conseguir uma vitória no Rio de Janeiro, o time de Porto Alegre será o campeão nacional.